EconoCenter - Garantia de bons negócios

CONCEITO  TÉCNICO

O Electric-Filter® é formado por um rico conjunto de blocos Indutivos, Capacitivos e Resistivos, que ao se associarem de forma inteligente são capazes de criar uma Impedância = 0 (zero) entre a Rede e o Aterramento para todas as Frequências diferentes de 60 Hz, ou seja, picos de tensão, interferências de celulares, rádios, distorções harmônicas, transientes da Rede Elétrica, descargas atmosféricas, etc.

Devido a sua Alta Tecnologia, o Electric-Filter® é instalado em paralelo à Rede Elétrica, o que o diferencia de todos os outros Filtros existentes, que são ligados em série.

Por ser ligado em paralelo, só passará pelo Electric-Filter® as interferências da Rede Elétrica que causam as distorções e interferências, estas da ordem de miliampéres (mA), mas que causam enormes prejuízos à Rede Elétrica.

PROTEÇÃO E ECONOMIA

Todos os equipamentos elétricos e eletrônicos foram projetados e concebidos para trabalhar recebendo uma energia que segue a seguinte Equação:

v(t) = Vmáx * sen wt, onde:
v(t) é a tensão instantânea;
Vmáx é a tensão de pico da senóide;
w é a velocidade angular que no nosso caso é = 2(Pi) * 60 Hz
60Hz Frequência adotada no Brasil
t é o instante analisado.

Porém, esta forma de onda, só encontramos assim "estabilizada", na saída da Usina Geradora sem cargas ligadas, pois ao serem ligadas as cargas Indutivas e Capacitivas na Rede Elétrica, vemos que a mesma sofre variações tanto de FASE gerando Energia Reativa, como também na forma de onda alterando o Valor Eficaz.

Para um sistema ideal sem deformações de onda, podemos dizer:

Desenvolvendo a Equação, temos:

= a tensão eficaz medida pelo voltímetro (110V, 127V, 220V)

A mesma Equação se aplica para o cálculo de corrente, onde temos:

Desenvolvendo a Equação temos:

Porém, se tivermos interferências integradas a esta forma de onda, uma 3ª Harmônica, por exemplo, temos:

Portanto,

(isto explica a oscilação nas medições com voltímetro)

Mas, se a Potência é dada por:

p(t) = v(t) * i(t) e v(t) = Vmáx * sen wt, onde Vmáx é fornecido pela Concessionária, para mantermos a mesma potência eficaz em um dado Equipamento, pôr exemplo, Motor, teremos que aumentar i(t), aumentando o Consumo de Energia Elétrica, porém i(t) também sofre distorções tanto em FASE aumentando a Energia Reativa como em forma alterando seu valor.

Sendo, os Valores Eficazes, de cada componente a área das senóides, ao deformarmos a onda de Tensão ou Corrente, necessitamos de um valor de Pico de Corrente, bem maior para compensar as perdas e manter a mesma Potência.

Além de aumentar o Consumo de Energia Elétrica de todos os Equipamentos Eletro Eletrônicos, este fenômeno ainda causa a diminuição de sua vida útil e, até mesmo a parada ou queima instantânea dos Equipamentos. Estando o Electric-Filter®(r) na Rede Elétrica, ele aterra estas interferências evitando, assim, que se somem a senóide do 60 Hz.

Até hoje, a filosofia abordada, era minimizar os efeitos dos problemas que surgiam:

  • Comprometimento do funcionamento dos Equipamentos;
  • Desgaste excessivo dos Equipamentos;
  • Alto Índice de Manutenção;
  • Excessiva queima de lâmpadas e reatores;
  • Paradas de CLP´s;
  • Afundamentos de Tensão.

CORRETOR DO FATOR DE POTÊNCIA

O máximo que se faz, até hoje, para correção do Fator de Potência é tentar compensar a Energia Reativa (compensação não é solução) colocando capacitores na Rede Elétrica para compensar a defasagem entre Tensão e Corrente causada por circuitos indutivos, o que não diminui o consumo ativo, apenas evita que a Energia Reativa seja enviada de volta à Concessionária de Energia Elétrica, ocasionando pagamento de multa.

O Electric-Filter® com seus inteligentes Filtros Ressonantes, consegue enviar ao Aterramento, as interferências da Rede Elétrica, diminuindo assim, a defasagem entre v(t) e i(t) e, consequentemente diminuindo a Energia Reativa gerada (não apenas camuflando-a), melhorando o Fator de Potência (não eliminando a necessidade de bancos capacitivos, mesmo que de menor capacidade), corrigindo a deformação de ondas causadas por Freqüências Parasitas e Harmônicas (atuando na causa e não no efeito). Por consequência, tendo um melhor aproveitamento da Energia Elétrica, necessitando assim, de uma quantidade menor de Energia Elétrica, para realizar o mesmo trabalho.

Energia Reativa presente aumento de Corrente

Energia Reativa inexistente Corrente baixa

 

FILTRO DE HARMÔNICAS

No caso específico de Harmônicas, o Electric-Filter®, ainda não consegue eliminá-las, por completo, mas diferente de outros Filtros que existem, o Electric-Filter® tem uma atuação dinâmica, apesar de seu tamanho reduzido, pois mais uma vez estará atuando na causa e não no efeito.

A Harmônica nada mais é, do que um percentual da fundamental, logo ao ligarmos a uma Rede Elétrica estável de um Equipamento que gere um alto índice de distorções Harmônicas, no instante em que t inicial e a corrente i(t), estará baixa e a ih(t) também.

(ih(t) = % i(t)) Esta ih(t) irá deformar a onda fundamental diminuindo o ief(t) e, para que isso não ocorra o Imáx aumentará, para compensar ih(t), que também aumenta por ser % i(t) (efeito avalanche).

Porém, com o Electric-Filter® na Rede Elétrica, no instante (t) inicial, grande parte desta componente Harmônica, será automaticamente Aterrada, independente do nível de distorções ou quantas componentes Harmônicas tiver, o Electric-Filter® irá ativar os Filtros necessários, ficando apenas uma pequena parte, que irá distorcer a Fundamental, sem comprometer a forma de onda. O que difere o Electric-Filter® de um Filtro de Harmônicas comum, além de seu tamanho e preços reduzidos, é que o Electric-Filter® pode ativar os Fltros Internos, instantaneamente, de acordo com a necessidade e, evitando assim, criar ressonância entre Filtros que poderiam induzir uma outra componente na Rede Elétrica.

DIMENSIONAMENTO

Para dimensionar o Sistema Electric-Filter®, proceder da seguinte maneira:

1º) Identificar os problemas gerados na Rede Elétrica: paradas de Máquinas, queima de Lâmpadas, Consumo Excessivo e Oscilações da Rede Elétrica, etc.

2º) Identificar as Fontes Causadoras: Motores, Inversores de Frequências , Circuitos Indutivos, Geradores de Harmônicas, etc.

3º) Medir a Corrente dos Quadros de Alimentação das partes afetadas, que apresentam os problemas.

4º) Medir a Corrente dos Quadros de Alimentação das Fontes causadoras, que apresentam os problemas.

5º) Segundo a Tabela de Dimensionamento, calcular um aparelho para a Chave Geral, com 40% da Potência Total e os 60% restantes dividir nas Chaves Secundárias ou Painéis das Máquinas.

6º) Medir, com o Voltímetro, a Tensão entre FASE-TERRA e FASE-NEUTRO. A Tensão FASE-TERRA, tem que ser 0,5V a 5V, maior que a Tensão de FASE-NEUTRO. Caso, isso não ocorra, o Aterramento deverá ser melhorado, até que a condição acima esteja satisfeita.

Obs.: Aconselhamos um Aterramento específico para o Sistema
Electric-Filter®, para que as interferências dissipadas, não retornem pelo NEUTRO.


TABELA DE DIMENSIONAMENTO

RESIDENCIAL – COMERCIAL - INDUSTRIAL

 

Corrente ( A )

220V

380V

440V

13

8

7

26

15

13

52

30

26

105

61

52

157

91

79

210

122

105

316

182

157

420

243

210

525

304

262

1050

608

525

1575

912

787

2100

1215

1050

2625

1520

1312

5250

3040

2625

Rede trifásica

kVA

Modelo

5

A

10

B

20

C

40

D

60

E

80

F

120

G

160

H

200

I

400

J

600

K

800

L

1000

M

2000

N

V * A * 1,732 / 1000 = kVA

Modelo Baixa Potência **** Modelo Alta Potência

 

Fotografias ilustrativas*

 

 

Principal  | Água  | Luz  | Telefone  |  Internet   |  Combustivel  |  Links  |  Fale Conosco 
© 2002 - 2007 Econocenter